PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


5 promessas sul-americanas para seu clube contratar depois da folia

Paraguaio Jorge Morel, do Guaraní, em ação contra o Corinthians - Divulgação
Paraguaio Jorge Morel, do Guaraní, em ação contra o Corinthians Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

22/02/2020 04h00

É Carnaval. Tempo em que os jogadores de futebol tiram alguns dias para descansar o corpo e a mente e os treinadores dão um relaxada na preocupação da montagem do time para as próximas partidas.

Os dirigentes, no entanto, não podem se desligar completamente da rotina de trabalho para cair na folia. Afinal, a janela de transferências do futebol brasileiro continua aberta. E as oportunidades estão todas na mesa.

Por isso, o "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo cinco jovens promessas dos outros países da América do Sul que merecem ser acompanhadas com carinho pelos clubes daqui. Esses garotos podem muito bem ser reforços valiosos para a sequência da temporada.

Vale lembrar que, no Brasil, a janela para a chegada de jogadores oriundos de clubes do exterior termina só no dia 4 de abril.

JORGE MOREL
Meia
22 anos
Paraguai
Guaraní (PAR)

Jogador mais talentoso do Guaraní, o meio-campista foi o autor do gol que abriu o caminho para a eliminação do Corinthians na Libertadores. Apesar de muitas vezes jogar à frente da zaga, Morel está longe de ser um volante grosso. Pelo contrário: tem bom toque de bola e chega com facilidade ao ataque. Não à toa, já tem mais de 100 partidas como profissional e defendeu a seleção principal do Paraguai em três oportunidades. É um daqueles jogadores que já estão fazendo hora extra no clube onde foi formado.

MATÍAS ZARACHO
Meia-atacante
21 anos
Argentino
Racing (ARG)

Divulgação
Imagem: Divulgação

Titular do Racing desde os 19 anos, foi figura importante na campanha do título argentino conquistado na temporada passada. Muito habilidoso e criativo, Zaracho chegou a ser um sonho da torcida do Internacional depois da chegada do técnico Eduardo Coudet, que o comandava no país vizinho. Mas esse sonho não se concretizou. O meia-atacante é uma contratação cara para os padrões brasileiros, daquelas que só dois ou três clubes seriam capazes de bancar. No exterior, interessa a Sporting e Porto.

FACUNDO PELLISTRI
Meia-atacante
18 anos
Uruguaio
Peñarol (URU)

Divulgação
Imagem: Divulgação

Principal revelação do futebol uruguaio na temporada passada, o adolescente estreou como profissional do Peñarol em agosto, quando ainda tinha 17 anos, e marcou seu primeiro gol no futebol dos adultos em novembro, um mês antes do 18º aniversário. Atacante de lado de campo, Pellistri é daqueles jogadores que não se escondem em campo e nem tem medo de partir para cima dos adversários. Por isso, chegou a ter um namoro em janeiro com o Boca Juniors, o que lhe rendeu um aumento salarial e um contrato válido até 2022.

ANDRÉS BALANTA
Volante
20 anos
Colombiano
Deportivo Cali (COL)

Efe
Imagem: Efe

Apesar de ainda ter 20 anos, fez parte da seleção colombiana que disputou o pré-olímpico para os Jogos de Tóquio-2020 e deixou boa impressão. Profissional há apenas dois anos, Balanta já tem uma rodagem interessante pelo Deportivo Cali. Polivalente, o volante também pode atuar no miolo da zaga, apesar de ser um tanto quanto baixo para a função (1,77 m). Como ainda não está na mira de clubes europeus, seria um reforço relativamente barato para os times brasileiros.

ALAN FRANCO
Volante
21 anos
Equador
Independiente del Valle (EQU)

Reprodução
Imagem: Reprodução

Apesar de estar com apenas 21 anos, o volante do Independiente del Valle já tem um currículo com muita experiência. Franco está em sua quinta temporada como profissional, disputou cinco jogos pela seleção principal do Equador e conquistou no ano passado o título da Copa Sul-Americana. Deixar seu país para jogar no exterior é o próximo passo natural para a carreira do talentoso volante. Um passo que pode trazê-lo ao Brasil.

Rafael Reis