PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Na mira do City, "bombado" de R$ 370 mi já teve proposta para jogar na NFL

Adama Traoré comemora gol do Wolverhampton contra o Manchester City, clube que pode pagar 80 milhões de euros para contratá-lo - Getty Images
Adama Traoré comemora gol do Wolverhampton contra o Manchester City, clube que pode pagar 80 milhões de euros para contratá-lo Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

14/01/2020 04h00

Classificação e Jogos

Revelação do Campeonato Inglês nesta temporada, Adama Traoré é um dos mais desejados jogador da atual janela de transferências na Europa. Só nas últimas semanas, seu nome foi apontado como possível reforço de Manchester City, Liverpool, Barcelona, Real Madrid e Tottenham.

Mas, se não fosse uma escolha feita pelo meia-atacante do Wolverhampton durante a adolescência, seu mercado atual poderia ser bem diferente.

Em vez de estar na lista de alguns dos clubes mais poderosos do futebol mundial, o espanhol de origem malinesa poderia hoje estar sendo disputado a tapa por franquias da NFL, a liga profissional de futebol americano.

Adama Traoré exibe os músculos - Getty Images
Adama Traoré exibe os músculos
Imagem: Getty Images

Quando ainda estava nas categorias de base do Barcelona, Traoré recebeu um convite para se mudar os Estados Unidos e trocar a bola redonda pela oval.

A história foi revelada na semana passada pelo volante Romain Saiss, seu companheiro no Wolverhampton, e confirmada pouco depois pelo jogador de 23 anos.

"Meu personal trainer na época me disse que tinha um amigo nos Estados Unidos que me arranjaria testes em times da NFL. Mas eu nem cheguei a respondê-lo. Achei que era brincadeira", afirmou o meia-atacante, ao jornal inglês "Daily Mail".

Apesar de ainda não ter naquela época o corpo digno de fisiculturista que exibe hoje, Traoré já se destacava nas canteras do Barça pela aceleração comparável à de um corredor de 100 ou 200 metros rasos.

Em 2017, quando defendia o Middlesbrough, o espanhol quebrou o recorde de maior velocidade já registrada durante uma partida da primeira divisão inglesa. Durante um pique pelo gramado, ele alcançou 37 km/h.

Já na atual temporada, Traoré evoluiu tecnicamente, deixou de depender exclusivamente do físico avantajado e passou a ser um terror para as defesas adversárias.

Com cinco gols e sete assistências em 2019/2020, foi convocado em novembro para defender a seleção espanhola principal, mas acabou cortado devido a uma contusão -ele declara ainda não ter decidido se jogará pela nação europeia ou por Mali.

Além disso, virou uma das peças mais cobiçadas do Mercado da Bola do Velho Continente. O rumor mais forte sobre seu futuro veio no fim da semana passada, quando o site italiano Calciomercato publicou que o Manchester City estaria disposto a pagar 80 milhões de euros (quase R$ 370 milhões) para contratá-lo.

Real Madrid e Barcelona correm por fora na briga para ter o meia-atacante em seus elencos, enquanto o interesse de Liverpool e Tottenham pelo jogador dá indícios de não ter se concretizado.

Graças principalmente ao bom momento vivido por Traoré, o Wolverhampton se tornou uma das sensações da temporada na Inglaterra. A equipe treinada pelo português Nuno Espírito Santo ocupa a sétima colocação da Premier League, com 31 pontos, e está à frente dos poderosos Tottenham e Arsenal.

Rafael Reis