Perrone

Perrone

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
ReportagemEsporte

Corinthians rescinde com superintendente que se afastou em meio a escândalo

Sergio Moura afirmou à coluna que teve o seu contrato como superintendente de marketing do Corinthians rescindido. Ele havia se licenciado por tempo indeterminado em maio, na esteira do escândalo envolvendo a intermediária do contrato de patrocínio entre Corinthians e Vai de Bet.

Em entrevista coletiva na última segunda (10), o presidente Augusto Melo não esclareceu a situação do ex-superintendente. O dirigente disse apenas que Moura estava afastado.
Porém, horas depois, o presidente do Conselho Deliberativo, Romeu Tuma Júnior, deu entrevista para a Rádio Bandeirantes afirmando que o contrato de Moura havia sido rescindido.

Indagado pela coluna nesta quinta (13) sobre a fala de Romeu, Moura disse: "sim, meu contrato foi rescindido".
No entanto, ele não respondeu se a ideia é voltar após a apuração do caso, desde que nada o envolva.

A coluna apurou que a possibilidade de retorno existe. Nada o impede de assinar um novo acordo.
Moura foi o responsável por indicar Alex Cassundé para trabalhar na campanha de Augusto na última eleição presidencial no Corinthians por meio da empresa Rede Social Media Design.

A Rede Social, da qual Cassundé é dono, intermediou o contrato do clube com a Vai de Bet com direito a receber comissão nde R$ 25,2 milhões, se o acordo fosse cumprido até o fim.

Como mostrou a coluna de Juca Kfouri no UOL, após receber R$ 1,4 milhão do Corinthians, a Rede Social fez transferências para a Neoway Soluções Integradas. A empresa que recebeu o dinheiro está no nome de Edna Oliveira dos Santos, beneficiária do Bolsa Família e que diz desconhecer ser a proprietária.

Após investigação preliminar, a polícia concluiu que a destinatária do dinheiro é uma empresa de fachada. O caso abalou o clube. A Vai de Bet rescindiu seu contrato e houve uma debandada de diretores.

No último dia 23, ao anunciar seu pedido de licença, Moura disse que que tomou a medida para adotar providências contra calúnias, difamações e injúrias que afirmou ter sofrido.

A pedido dele, foi aberto um inquérito sobre o assunto. Armando Mendonça, 2° vice-presidente do Corinthians, foi citado por Moura na queixa-crime e prestou depoimento, como mostrou o UOL.

Continua após a publicidade

"Com essa decisão, espero provar minha inocência, mas, também, eu quero poupar o Corinthians, essa instituição secular, e também o seu presidente, Augusto Melo", declarou Moura ao se licenciar.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deixe seu comentário

Só para assinantes