PUBLICIDADE
Topo

Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Justiça recebe denúncia contra torcedor do Boca Juniors e aciona consulado

Leonardo Ponzo foi preso na Neo Química Arena sob a acusação de cometer atos racistas - AMANDA PEROBELLI / REUTERS
Leonardo Ponzo foi preso na Neo Química Arena sob a acusação de cometer atos racistas Imagem: AMANDA PEROBELLI / REUTERS
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

05/07/2022 04h00

A Justiça de São Paulo recebeu denúncia do Ministério Público contra Leonardo Germán Ponzo, torcedor do Boca Juniors. Ele é acusado de praticar injúria racial em jogo de seu time contra o Corinthians, em 26 de abril, na Neo Química Arena.

Em decisão datada de 15 de junho, o juiz Waldir Calciolari escreveu que estão "presentes os elementos indicativos da autoria criminosa e da existência material da infração". Assim, o magistrado descartou a possibilidade de rejeitar liminarmente a denúncia.

O juiz apontou que o endereço dado pelo acusado não está completo, por isso determinou que fosse expedido ofício ao consulado da Argentina em São Paulo solicitando o endereço completo e a qualificação do acusado.

Ele também determinou o envio de ofício para a Polícia Federal para que seja informado o endereço apresentado por Ponzo ao entrar no Brasil.

As informações solicitadas são necessárias para a intimação do argentino por meio de carta rogatória (instrumento jurídico usado para a comunicação entre entre as Justiças de diferentes países).

O torcedor do Boca pagou fiança de R$ 3 mil e responderá ao processo em liberdade. No último dia 30, a solicitação de informações foi enviada ao consulado argentino.

Em sua decisão, o juiz também citou que "o acusado responde pela prática do crime de injúria" porque "injuriou a vítima Felipe Nascimento Palma Cruz, ofendendo sua dignidade, utilizando-se de elementos referentes à sua raça e cor". Cruz ofereceu representação contra Ponzo, que negou a prática do delito.