PUBLICIDADE
Topo

Perrone

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Perrone: VP não entendeu que fazer elenco se superar é sua obrigação

O técnico Vítor Pereira no banco de reservas para Corinthians x São Paulo, pelo Brasileirão 2022 - Marcello Zambrana/AGIF
O técnico Vítor Pereira no banco de reservas para Corinthians x São Paulo, pelo Brasileirão 2022 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

28/05/2022 04h00

Em entrevista coletiva concedida nesta sexta (27), Vítor Pereira disse o seguinte: 'quem olhar para o elenco do Corinthians e enxergar um superelenco para ganhar hoje do Boca Juniors e, passados três dias, ganhar do Flamengo, está a construir castelos de areia".

Na opinião deste colunista, a declaração mostra que o português ainda não entendeu o que é o Corinthians.

A torcida alvinegra sempre vai exigir a vitória, independentemente do nível de seu time e do adversário. A Fiel já viu várias vezes seu clube ser campeão, mesmo sem o melhor elenco. A premissa é que com raça o Timão diminui eventuais diferenças técnicas.

Ou seja, por mais que VP não goste, ele vai ser cobrado para ganhar no meio da semana na Libertadores e no fim de semana no Brasileirão. Suas ponderações não reduzirão a exigência da torcida.

O português também não entendeu que ele foi contratado justamente para tentar fazer esse elenco ir mais longe do que sua comparação no papel com os principais rivais sugere que possa ir. Cabe a ele encontrar caminhos táticos e fazer jogadores reservas evoluírem para alcançar esse objetivo.

Se fosse para aceitar de maneira passiva essa teórica inferioridade técnica, o Corinthians poderia ter contratado um treinador para ganhar um terço do que VP.

Pereira ganha bem justamente porque a diretoria entende que ele tem capacidade para superar dificuldades encontrando as melhores soluções.

Se fosse para tentar convencer a torcida de que o elenco é limitado e não dá para exigir vitórias seguidas contra dois adversários fortes, a direção tentaria isso gastando menos dinheiro. VP provavelmente estaria bem longe daqui.