PUBLICIDADE
Topo

Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Relatório do Corinthians sobre caos na Argentina cita agressão policial

Corinthians x Boca Juniors tem gesto racista - Reprodução/Twitter
Corinthians x Boca Juniors tem gesto racista Imagem: Reprodução/Twitter
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

21/05/2022 11h36

No relatório que o Corinthians preparou para ser enviado à Conmebol por meio da Federação Paulista de Futebol sobre problemas enfrentados por corintianos que foram assistir ao duelo com o Boca Juniors, na Argentina, há acusação de pelo menos um caso de agressão policial. O agredido em questão, de acordo com relato ouvido pela coluna, é conselheiro do clube.

Em depoimento à coluna, o diretor de negócios jurídicos do Corinthians, Herói Vicente, já havia falado em "borrachadas" disparadas pela polícia antes do jogo da última terça (17).

O documento cita ainda um caminho mais longo e desnecessário que teria sido feito pelos veículos com parte da torcida escoltados pela polícia até a Bombonera, horas que torcedores passaram sem poder sair de ônibus e vans e falta de acessibilidade para pessoas com deficiência, entre outras reclamações.

Também existe a queixa de que o diretor de negócios jurídicos do clube foi tratado com descaso. À coluna, ele relatou que tentou se identificar como dirigente do Corinthians para sair de sua van e falar com o chefe do policiamento, mas foi proibido de fazer isso.

O Corinthians também preparou um relatório sobre atos de racismo praticados por torcedores do Boca. Antes mesmo de o jogo começar, corintianos filmaram argentinos imitando macacos.