PUBLICIDADE
Topo

Perrone

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Perrone: É preciso evitar clubismo no caso de acusação contra Rafael Ramos

Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

15/05/2022 15h43

É natural que corintianos e colorados queiram comentar a acusação de injúria racial feita por Edenilson contra Rafael Ramos. A importância do caso atrai não só torcedores dos dois times. O tema é dos mais relevantes. Porém, por mais que seja óbvio, é necessário lembrar que não estamos falando de uma questão ligada a clubismo. Não se trata de se quem tem razão é o Corinthians ou o Internacional.

Um crime foi denunciado. A questão é técnica, não passional. Deve ser tratada por especialistas. Pelos advogados das partes, Polícia Civil e Justiça. Desenvolver teorias e misturar a rivalidade entre os clubes nesse episódio é avançar o sinal e correr o risco de cometer injustiças, de ser leviano.

Torcedores, jornalistas e dirigentes não têm como saber quem está falando a verdade. Não com o que foi apresentado por enquanto. Até a polícia não tem. Muita investigação ainda será feita, apesar de ele ter sido autuado em flagrante.

Racismo é nojento, seja qual for a camisa do racista. Como a injustiça, independentemente do clube do injustiçado, é repugnante. Assim, por mais que seja difícil, é importante não tomar partido. Esqueça que um dos envolvidos joga pelo seu time, se for o caso. Vamos esperar as investigações e que haja um desfecho justo, que nos mostre a verdade.