PUBLICIDADE
Topo

Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Prêmio por taça da Libertadores pagaria mais de 50% da dívida com Crefisa

Palmeiras ergue o troféu da Libertadores pela terceira vez, com Felipe Melo capitão - Juan Mabromata / AFP
Palmeiras ergue o troféu da Libertadores pela terceira vez, com Felipe Melo capitão Imagem: Juan Mabromata / AFP
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

28/11/2021 12h49

Sem contar os bônus distribuídos pela Conmebol nas outras fases do torneio, o Palmeiras assegurou um prêmio de US$ 15 milhões pelo título da Libertadores. A quantia corresponde a R$ 83.788.500,00 pela cotação mais recente.

Para te ajudar a entender o impacto dessa entrada de dinheiro nos cofres do clube, a coluna examinou as contas do Alviverde e fez três comparações.

Vale lembrar que parte do dinheiro será repassado a jogadores e comissão técnica como "bicho" pela conquista sacramentada diante do Flamengo no último sábado (27). Confira a seguir os exemplos.

Dívida com a Crefisa

O prêmio pelo título da Libertadores seria suficiente para o Palmeiras pagar mais da metade da sua dívida com a Crefisa. A conta é referente ao empréstimo feito pela empresa presidida por Leila Pereira, presidente eleita do Palmeiras. A operação, ajustada em 2018, foi realizada para o clube contratar jogadores.

Em março, o débito estava em cerca de R$ 143 milhões, conforme apurou a coluna.

Ou seja, seria possível pagar aproximadamente 58,5% da dívida. Ficaria faltando pagar cerca de R$ 59,2 milhões.

No entanto, por contrato, o Palmeiras paga a dívida conforme vende jogadores atrelados ao empréstimo. Se o compromisso do atleta com a agremiação termina e ele não é negociado, o clube tem até dois anos para pagar a quantia referente ao jogador. Isso vale também para o caso de a receita gerada pela negociação não ser suficiente para quitar o débito.

Déficit em 2020

A receita gerada só pela conquista do título da Libertadores também seria capaz de cobrir mais da metade do déficit contábil apresentado pelo alviverde em 2020.

O balanço do clube apresentou resultado contábil deficitário em R$ 151 milhões. Com a premiação pelo título seria possível cobrir 55,4% desse montante.

Despesa em setembro

O Palmeiras poderia bancar toda a despesa de seu departamento de futebol em setembro e ainda sobraria dinheiro. Balancete publicado no site do clube mostra que no nono mês de 2021 a despesa com futebol foi de R$ 49.076.832,02. Sobrariam R$ 34.711.667,98 da premiação pelo título da Libertadores.

Inscreva-se no Canal Ricardo Perrone no YouTube.