PUBLICIDADE
Topo

Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Contrato dá parte de bônus de Mosquito no Corinthians para seu ex-agente

Gustavo Mosquito em treino do Corinthians - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Gustavo Mosquito em treino do Corinthians Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

26/10/2021 04h00

Com Yago Rudá, do UOL, em São Paulo

O contrato de Gustavo Mosquito com o Corinthians prevê bônus conforme o número de partidas disputadas, desde que ele atue pelo menos 45 minutos em cada uma delas. Mas, em caso de metas alcançadas, parte do dinheiro não fica com o atleta. O blog apurou que uma fatia da premiação milionária vai para uma empresa do ex-agente do atacante, Fernando Garcia. Isso por causa de acordo assinado entre jogador e empresário.

Ao completar 60 jogos com o equivalente a pelo menos um tempo disputado, Mosquito passa a ter direito a cerca de R$ 4 milhões. Os dados do contrato entre o atacante e a empresa do agente são mantidos em sigilo. Porém, também de acordo com a apuração do blog, pelo menos cerca de 40% desse valor vão para a empresa de Garcia.

Segundo fonte ouvida pelo blog, oficialmente, a bonificação faz parte dos direitos de imagem do jogador. E o empresário comprou parte desses direitos. Não são raros os casos de agentes que fazem acordos com seus clientes e ficam com fatias dos direitos de imagem, que, inicialmente, completam os ganhos mensais dos jogadores.

Mosquito já atuou pelo menos 45 minutos em 50 jogos com a camisa do Corinthians. Ou seja, com mais dez partidas com esse tempo mínimo, ele e seu ex-empresário receberão bonificação.

Segundo a mesma fonte, se o atacante atingir 45 minutos em 110 partidas, o Corinthians terá que pagar outro prêmio.

O jogador tem contrato com o Alvinegro até o fim de 2023. Ele está entre os atletas que o clube vê com potencial para ser vendido. O orçamento revisado da agremiação prevê a arrecadação de aproximadamente R$ 95,3 milhões com a venda de atletas em 2021. Atualmente, Mosquito é agenciado por Carlos Leite que, assim como o ex-empresário do jogador, tem no currículo passagens de muitos de seus clientes pelo Parque São Jorge.

Fernando Garcia já integrou o Conselho Deliberativo do clube e é irmão de Paulo Garcia, conselheiro influente na política corintiana.

Procurada, a assessoria de imprensa de Mosquito disse que o jogador não se manifestaria sobre o assunto. Fernando Garcia também não quis se pronunciar.

Inscreva-se no canal do Ricardo Perrone no YouTube.