PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Perrone: Eficiência de Dudu fez a diferença para o finalista Palmeiras

Dudu comemora gol do Palmeiras contra o Atlético-MG na Libertadores - GUSTAVO RABELO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Dudu comemora gol do Palmeiras contra o Atlético-MG na Libertadores Imagem: GUSTAVO RABELO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

28/09/2021 23h38

Dudu só precisou mandar uma bola no gol do Atlético-MG durante o jogo desta quarta (28), no Mineirão, para ajudar o Palmeiras a se classificar para a sua segunda final seguida da Libertadores.

De acordo com o site Sofascore, o atacante palmeirense tentou duas finalizações na partida. Uma foi bloqueada. A outra empatou o jogo em um gol.

Graças ao gol fora de casa, o Alviverde eliminou o Galo, já que em São Paulo houve empate sem gols.

O fato de ter sido econômico nas conclusões não é um demérito para Dudu. Sua eficiência foi decisiva.

Impossível não comparar o desempenho de Dudu com o de Hulk, uma das principais armas do Galo. O Atleticano desperdiçou um pênalti no primeiro jogo. O gol perdido fez falta.

No Mineirão, Hulk finalizou três vezes no alvo e uma fora dele, além de ter três arremates bloqueados. Não balançou a rede.

Dudu foi mais eficiente e guarda como lembrança da semifinal mais um gol decisivo em sua história no Palmeiras. Por sua vez, Hulk carregará nos ombros o pênalti perdido na primeira partida, mesmo sendo injusto atribuir a ele a eliminação.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Blog do Perrone