PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Como o Metrô de São Paulo tenta evitar aglomeração na volta dos torcedores

Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

28/09/2021 04h00

Com a volta do público aos estádios de São Paulo, autorizada a partir de 4 de outubro, o torcedor dos times da capital corre o risco de reviver a rotina de filas para comprar bilhetes do Metrô e se espremer em vagões lotados, principalmente na volta dos jogos.

Tal situação nunca foi salutar, mas agora há a pandemia de covid-19, que exige distanciamento entre as pessoas. Como o Metrô se prepara para enfrentar essa realidade na volta dos torcedores às partidas?

O blog questionou a assessoria de imprensa do Metrô, que respondeu que haverá reforço no quadro de funcionários, trens reservas e monitoramento do fluxo de torcedores. Isso vale para todas as linhas.

Novas formas de venda de bilhetes, que já estão em prática, são apostas para tentar evitar longas filas.
A seguir, veja na íntegra a nota enviada pela assessoria de imprensa do Metrô ao blog.

"O atendimento aos torcedores será feito com estratégias operacionais para cada situação, que considera os dias, horários e locais das partidas. Haverá reforço do quadro de funcionários para atendimento, monitoramento contínuo da demanda e fluxo dos torcedores, além de trens reservas para oferecer mais viagens, se houver necessidade. Soma-se a essas ações, a disponibilização de novas opções para compra dos bilhetes de entrada ao Metrô - como máquinas de autoatendimento, aplicativo de celular e até mesmo por WhatsApp -, evitando a concentração de pessoas nas bilheterias."

Segundo a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, essas estratégias valem também para todas as linhas de trem.

Na primeira etapa da reabertura dos portões está autorizado o uso de 30% da capacidade de cada setor dos estádios.

De 15 a 30 de outubro, as arenas poderão receber a metade do público que comportam. A partir do dia 1º de novembro, está autorizada a lotação completa.

Blog do Perrone