PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Perrone: Corinthians joga para voltar a rivalizar com Palmeiras na tabela

Sylvinho observa treino do Corinthians - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Sylvinho observa treino do Corinthians Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

25/09/2021 04h00

O Dérbi deste sábado (25) representa para o Corinthians manter viva a chance de voltar a rivalizar com o Palmeiras na tabela do Brasileirão.

Um vitória deixará o Alvinegro a cinco pontos do rival. Já a derrota o deixaria a incômodos 11 pontos de distância.

O Alviverde chega ao clássico ocupando a vice-liderança com 38 pontos em 20 jogos. Os corintianos estão na sexta colocação com 30 pontos e 21 partidas disputadas.

Uma vitória palmeirense manteria, neste momento, a tendência dos últimos anos do clube de ostentar folgada vantagem sobre seu maior rival na classificação do Campeonato Brasileiro.

Em 2020, o Palmeiras terminou a competição com 58 pontos contra 51 do Alvinegro.

Nos dois anos anteriores, a vantagem foi maior. Em 2019, a diferença a favor do Palmeiras foi de 18 pontos (74 a 56).

Em 2018, o time do Allianz Parque foi campeão nacional com direito a surra de pontos no rival. Sua vantagem foi de 36 pontos (80 a 44).

A última vez que o Corinthians terminou o Brasileiro na frente do Palmeiras foi com vantagem de 9 pontos (72 a 63), em 2017. Só que, apesar diferença tranquila, houve disputa direta na tabela, já que o Alvinegro foi campeão, com o Alviverde como vice.

De lá para cá, o Palmeiras aproveitou uma situação financeira mais confortável, montou times mais fortes e se distanciou do rival na briga pelo título brasileiro.

Agora, não é só a diferença de pontos que dá ao Corinthians a chance de incomodar o rival. Depois de passar o primeiro semestre sem fazer contratações, o Corinthians, mesmo em crise financeira, montou um time forte.

Até Renato Augusto, Giuliano, Roger Guedes e Willian chegarem, o Palmeiras e todos os outros adversários corintianos basicamente precisavam se preocupar com a velocidade de Gustavo Mosquito nos contra-ataques.

O jogou mudou. O Alvinegro tem jogadores que sabem trabalhar a posse de bola, são eficientes na troca de passes e perigosos no mano a mano.

Porém, falta ainda a Sylvinho encontrar o equilíbrio entre defesa e ataque. Se o Alvinegro falhar na marcação, como aconteceu no empate em um gol com o América-MG na rodada anterior, dificilmente a chance de encurtar a distância para o rival neste sábado será aproveitada.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Blog do Perrone