PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Estafe de Marinho minimiza desabafo e espera poeira baixar

Marinho em ação em treino do Santos - Ivan Storti/Santos FC
Marinho em ação em treino do Santos Imagem: Ivan Storti/Santos FC
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

10/09/2021 04h00

Com Jeremias Wernek, do UOL, em Porto Alegre
Deixar a poeira baixar, esperar Marinho voltar a jogar e ver se aparecem propostas para o jogador no final do ano. Esse é o roteiro traçado pelo estafe do jogador do Santos após desabafo no qual o atleta demonstrou insatisfação com a direção do Peixe.
No entorno do jogador o discurso é de que ele está irritado porque não pode jogar, já que se recupera de lesão na coxa esquerda. O atleta não atua desde o final de julho.
Justamente por não estar atuando, a avaliação é de que dificilmente ele receberá uma proposta de clubes de países que ainda estão com a janela de transferências aberta, principalmente do futebol árabe, que já tentou contratá-lo.
A estratégia é não alimentar polêmica com a diretoria santista depois da entrevista dada pelo atacante ao jornalista Ademir Quintino.
Marinho disse que houve erro médico no tratamento de sua contusão, reclamou da venda de colegas enquanto propostas por ele foram recusadas e afirmou que não sairá do clube até o fim do ano. Seu contrato vai até dezembro de 2022.
"Nunca me falaram de plano de carreira. Não me chamaram ainda [para discutir renovação contratual]. Cheguei a perguntar sobre isso, mas me falaram que não tinha como dar aumento, mas tudo bem. Quando chegar algo de fora, pensa aí, me deixa respirar. Me deixa respirar, também. Eu sempre pedi um time que brigasse por títulos. Você vê Soteldo, Luan Peres, Alison, Pituca saindo... Todo mundo saindo. E eu não saio, também? Mas não estamos numa boa situação e vou continuar, porque cheguei pela porta da frente e vou sair com o Santos na primeira divisão. Estou fechado até o fim do campeonato, e que o presidente pense um pouquinho. Não quero sair de graça", disse Marinho para Quintino, na última terça (7).
Ele também afirmou ter recebido propostas de Palmeiras e Atlético-MG.
Nesta quinta (9), Andres Rueda, presidente do Santos, rebateu as declarações de Marinho, negando que houve erro médico e consulta do Atlético-MG. Porém, admitiu uma conversa com o Palmeiras sem evolução.
O dirigente afirmou ter recebido três propostas para vender Marinho para os Emirados Árabes Unidos. Segundo ele, o atleta queria se transferir pela questão financeira, mas as ofertas não eram boas para o Santos.

Blog do Perrone