PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Silêncio de Rogério Caboclo incomoda presidentes de clubes

Rogério Caboclo, presidente da CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Rogério Caboclo, presidente da CBF Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

06/06/2021 09h44

O silêncio de Rogério Caboclo, presidente da CBF, incomoda presidentes de clubes da Série A do Brasileirão.

Os dirigentes reclamam que o cartola da Confederação não os procurou para se explicar sobre as acusações de uma funcionária contra ele.

Caboclo é acusado de assédio sexual e moral. A denúncia foi apresentada na última sexta (4) na Comissão de Ética do Futebol Brasileiro e na diretoria de Governança e Conformidade da CBF.

Desde então, foi divulgada pela assessoria de imprensa da CBF apenas uma nota em nome da defesa do dirigente.

"A defesa de Rogério Caboclo responde que ele nunca cometeu nenhum tipo de assédio. E vai provar isso na investigação da Comissão de Ética da CBF".

O sentimento de presidentes de clubes da elite do futebol brasileiro é de que Caboclo precisa esclarecer os fatos não só para eles, mas para a sociedade de maneira geral. A avaliação é de que a confederação e seu principal dirigente não estão sabendo gerir a crise.

Para esses cartolas, há um clima de incerteza sobre o futuro político da CBF. Ao menos parte deles considera a situação do presidente da entidade insustentável.

Na comissão de disciplina, o caso passa primeiro pela câmara de investigação. Depois vai para a de julgamento. O órgão pode determinar até o banimento do presidente da CBF.

Apesar do incômodo, a posição da maioria dos presidentes de clubes neste momento é de aguardar um movimento de Caboclo. O presidente não respondeu às mensagens enviadas pelo blog.

Blog do Perrone