PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Receita do Santos com venda de atletas caiu R$ 131,9 milhões em 2020

Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

12/05/2021 04h00

A receita do Santos com venda de atletas sofreu uma queda de R$ 131.969.000 em 2020 na comparação com o ano anterior. Isso é o que mostra o balanço santista referente ao ano passado.

Em 2020, o clube da Vila Belmiro arrecadou R$ 83.815.000 com repasses de direitos federativos, incluindo mecanismos de solidariedade e outras receitas ligadas a transações envolvendo jogadores. No balanço de 2019, foram computados R$ 215.784.000 com essas negociações.

O principal motivo da diferença está relacionado à venda de Rodrygo para o Real Madrid. Apesar de parte do dinheiro ter sido recebida em 2018, toda a receita foi contabilizada em 2019, quando o jogador se apresentou ao time espanhol. O balanço do ano retrasado aponta que a operação rendeu aos Santos R$ 172.480.000.

Segundo a assessoria de imprensa do Santos, o clube seguiu determinação contábil de fazer o lançamento do valor da venda quando é feita a transferência dos direitos federativos. Isso apesar de o Real ter dado um sinal em 2018.

Entre outras operações registradas em 2019, a venda de Bruno Henrique para o Flamengo ajudou a engordar os cofres do Alvinegro do litoral paulista. A operação foi registrada em R$ 23 milhões.

As receitas obtidas em 2020 foram modestas perto das realizadas no ano anterior.

A maior arrecadação com negociação de um atleta registrada no balanço de 2020 foi de R$ 10 milhões pela venda do zagueiro Felipe Aguilar para o Athletico-PR.

Em seguida aparece a venda de Eduardo Sasha para o Atlético-MG por R$ 9.703.000. A mesma rubrica aponta receita de R$ 29.677.000 com "outros".

Além da queda de arrecadação com venda de jogadores, as receitas do Santos, como as dos demais clubes, foram atingidas pelos reflexos da pandemia de covid-19.

Em 2020, a receita total do clube foi de R$ 239.802.000. Em 2019, ela havia sido de R$ 399.829.000.

O Santos registrou déficit de R$ 119.836.000 no ano passado. Em 2019, houve superávit de R$ 23.501.000.

Se inscreva no canal do Ricardo Perrone no YouTube.

Blog do Perrone