PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Financeiramente, Neymar tomou a melhor decisão ao renovar com PSG

neymar -
neymar
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

09/05/2021 10h21

Em termos financeiros, Neymar tomou a melhor decisão que poderia tomar neste momento ao renovar com o PSG até 2025.

Melhorar seus ganhos salariais em meio ao impacto provocado pela pandemia de covid-19 foi a opção mais segura.

Como no Brasil, os clubes europeus tiveram suas finanças fortemente atingidas pelos efeitos da pandemia.

A tendência na próxima janela é de negociações com valores abaixo da média histórica do continente.

Difícil acreditar que, neste cenário, alguém teria musculatura para tirar o brasileiro do PSG.

O contrato de Neymar terminaria em junho de 2022. Há incertezas sobre como a economia mundial estará na ocasião em relação à anemia financeira já provocada pela pandemia.

O mapa econômico atual do mercado da bola indica que, mesmo livre, o ex-santista teria dificuldade para arrumar um contrato tão bom quanto o oferecido pelo PSG.

A crise financeira enfrentada pelo Barcelona, visto como porto seguro para Neymar, ajuda a consolidar o PSG como melhor opção em termos de grana atualmente.

Mas e esportivamente, foi o melhor caminho? Nesse quesito as projeções são menos precisas. Mas é compreensível porque o estafe de Neymar dobrou a aposta no PSG dentro de campo.

Atualmente, o clube parisiense faz parte do seleto grupo com vaga cativa entre os favoritos ao título da Champions League. Não há sinais de que isso mudará nos próximos anos. E, hoje, a aposta do brasileiro em alcançar glórias esportivas pelo time parisiense é bem menos arriscada do que foi quando ele fez as malas para trocar Barcelona por Paris.

Ao contrário da ousadia demonstrada naquela ocasião, Neymar e seu pai agora optaram pela bola de segurança.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Blog do Perrone