PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Estatísticas confirmam que Crespo entregou em estreia o que diretoria pediu

Luan e Tiago Volpi comemoram ao lado de Crespo o gol do São Paulo contra o Sporting Cristal - Getty Images
Luan e Tiago Volpi comemoram ao lado de Crespo o gol do São Paulo contra o Sporting Cristal Imagem: Getty Images
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

21/04/2021 09h55

Na estreia do São Paulo na Libertadores, Hernán Crespo entregou o que a diretoria queria. O time demonstrou as características esperadas pela direção na vitória por 3 a 0 sobre o Sporting Cristal, nesta terça (20). A equipe foi aguerrida, brigou sempre pela bola e praticou um futebol vertical e bem jogado.

As estatísticas da partida em Lima, no Peru, comprovam que o desempenho foi o encomendado pela direção (não só para a Libertadores, mas para a temporada inteira).

A parte aguerrida desejada pelos chefes de Crespo é representada pela quantidade de desarmes do São Paulo. Foram 16, dois a mais do que os feitos pelo adversário, segundo o site "SofaScore'. Os são-paulinos também fizeram mais faltas. Foram 18 diante de 13 dos peruanos.

O plano de brigar sempre pela bola deu resultado. O São Paulo teve 56% de posse de bola. Isso significa que, mesmo em vantagem no placar, a equipe de Crespo não entregou a bola para o rival, pensando em contra-atacar.

Além dos três gols, a parte de ser ofensivo é confirmada pelo número de finalizações. Foram 11 do São Paulo e oito do Sporting Cristal.

Para comprovar que o futebol bem jogado pedido pela diretoria foi apresentado, há ainda o belo gol de Benítez com um chute de fora da área.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Blog do Perrone