PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Flamengo perdeu 74.850 sócios-torcedores em 2020

Maracanã vazio para partida entre Flamengo e Portuguesa pelo Campeonato Carioca 2020 - Bruna Prado/Getty Images
Maracanã vazio para partida entre Flamengo e Portuguesa pelo Campeonato Carioca 2020 Imagem: Bruna Prado/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

02/04/2021 04h00

O balanço do Flamengo referente a 2020 detalha perdas esperadas no ano passado por causa dos efeitos da pandemia de covid-19. Entre elas está uma queda de 74.850 membros em seu programa de sócio-torcedor.

De acordo com o documento, o clube tinha 125.242 sócios torcedores no final de 2019. No fim do ano passado, o Rubro-Negro registrava 50.392 integrantes no programa.

A brusca queda está diretamente ligada ao fato de a maior parte da temporada ter sido disputada sem a presença de torcedores nos jogos.

A redução de receita de bilheteria foi de R$ 82.320.000. Foram amealhados R$ 26.700.000 com vendas de ingressos em 2020 antes de o público se vetado. Em 2019, a comercialização de entradas tinha rendido ao clube da Gávea R$ 109.049.000.

O balanço resume assim a perda de receitas do Flamengo na soma de todas as áreas:

"A receita operacional em 2020 foi R$ 281.818.000 abaixo do ano de 2019, sendo as principais reduções: R$ 82.349.000 foi redução de receita de bilheteria e R$ 87.282.000 redução das receitas de direitos de transmissão, participação, exposição e performance, mídias digitais e serviços "on demand", postergadas para o exercício de 2021, devidos aos efeitos da covid-19."

Nesse cenário, o clube fechou 2020 com déficit de R$ 106.922.000. Em 2019, havia sido registrado superávit de R$ 62.921.000.

Blog do Perrone