PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

Cuidado: spoilers! Prévia de decisão indica emoção até o final

Rony e Kannemann disputam a bola na partida entre Palmeiras x Grêmio, pelo Brasileirão  - Marcello Zambrana/AGIF
Rony e Kannemann disputam a bola na partida entre Palmeiras x Grêmio, pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

16/01/2021 00h16

Jogando pelo Brasileirão, Palmeiras e Grêmio deram nesta sexta (15) alguns spoilers da final da Copa do Brasil, marcada para fevereiro, e deixaram a impressão de que a série de dois jogos decisivos será imperdível.

O empate em um gol no Allianz Parque mostrou que provavelmente teremos emoção e equilíbrio na final. Ainda que um time seja muito superior em relação ao outro em muitos momentos, como foi o Palmeiras no primeiro tempo.

O alviverde foi para o intervalo vencendo por 1 a 0 depois de fazer 12 finalizações contra apenas cinco dos gremistas, segundo o SofaScore.

Também vimos o estrago que a falta de atenção pode provocar na decisão. Desatento no primeiro tempo, o time de Renato Gaúcho errou passes e facilitou a vida do Palmeiras.

O Grêmio acertou 84% de suas trocas de bola. O índice de acerto palmeirense na etapa inicial foi de 92%.

A prévia da final também ensinou o óbvio: perder gols pode, como sempre, custar o título. Depois de cansar de perder chances, o alviverde só não tomou a virada no final graças a mais uma boa atuação de Weverton.

Outra demonstração foi em relação à importância que o preparo físico deve ter na final. O Palmeiras, que fez uma semifinal de Libertadores na terça, diminuiu o ritmo na etapa final. Essa desaceleração combinada com os ajustes feitos por Renato no intervalo determinaram o empate.

O nível de dramaticidade que a decisão da Copa do Brasil pode ter foi indicado nos minutos finais. Aos 44 minutos, Diego Souza, de cabeça, empatou o jogo. Aos 48 minutos, ele quase fez seu segundo gol ao obrigar Weverton a fazer importante defesa em cobrança de falta.

Se a prévia da disputa do título da Copa do Brasil prendeu a atenção até a última cena, a decisão promete ser digna de Hitchcock.

Blog do Perrone