Topo

Coluna

Oscar Roberto Godói


Caneleiras deveriam evitar contusões: a falha está no mau uso?

Jogador Rafael Carioca, do Red Bull Brasil, saiu de ambulância durante partida contra o São Paulo pelo Paulista 2019 - Marcello Zambrana/AGIF
Jogador Rafael Carioca, do Red Bull Brasil, saiu de ambulância durante partida contra o São Paulo pelo Paulista 2019 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

25/02/2019 12h57

Para que serve a caneleira, interrogação (meus sentimentos aos familiares do jornalista Roberto Avallone). O equipamento de uso obrigatório pelos jogadores de futebol deveria ser utilizado corretamente e de acordo com as recomendações dos fabricantes.

Ainda temos jogadores que não as usam nos treinos e não gostam do equipamento. Alguns alteram as características e até colocam papelão ou "língua" de tênis ou chuteiras velhas por baixo das meias para enganar a arbitragem.

No jogo São Paulo 0 x 0 Red Bull Brasil, o jogador Gonçalo Carneiro foi expulso, corretamente, ainda no primeiro tempo, por ter atingido a perna de Rafael Carioca com a sola da chuteira, deixando o São Paulo com um jogador a menos até o fim da partida.

Pelas imagens, o ferimento está embaixo da caneleira, equipamento que deveria impedir aquele tipo de contusão. Onde está a falha: na qualidade do equipamento ou no seu manuseio?

Depois de ter mostrado, precipitadamente, o cartão amarelo para o jogador do São Paulo, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira, corretamente, voltou atrás e expulsou o infrator pela consequência e não pela ação.

O clássico Palmeiras 0 x 0 Santos teve um lance de agressão e revide entre Moisés e Gustavo Henrique que não foi punido por Flavio Souza. O árbitro ficou de costas para o foco da confusão e não foi informado por nenhum dos seus auxiliares, todos omissos.

Carimba que o gol foi legal, exclamação. O árbitro Raphael Claus acertou em validar o gol de Boselli na vitória do Corinthians contra o Botafogo-SP. O goleiro não estava com a bola retida em suas mãos.

Siga o UOL Esporte no

Mais Oscar Roberto Godói