Topo

Coluna

Oscar Roberto Godói


FPF arrisca com árbitro jovem para clássico entre Corinthians e São Paulo

Lateral Carlos Augusto em ação pelo Corinthians em clássico contra o São Paulo pelo Brasileirão 2018 - Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Lateral Carlos Augusto em ação pelo Corinthians em clássico contra o São Paulo pelo Brasileirão 2018 Imagem: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

15/02/2019 14h39

A Federação Paulista de Futebol continua proporcionando algumas surpresas no Paulistão. Agora, a Comissão de Arbitragens arrisca lançando um árbitro jovem e inexperiente para apitar o clássico Corinthians x São Paulo, no domingo (17). Se vai dar certo ou não só saberemos durante e após o jogo. Tomara que tudo corra bem e que Lucas Canetto Bellote, de apenas 29 anos de vida e pouco tempo na arbitragem - ele foi formado em 2012 -, consiga se sair bem.

O momento técnico dos dois clubes não é bom, e a arbitragem deverá ser muito exigida disciplinarmente, principalmente, se os técnicos instruírem seus jogadores para pressionarem o árbitro a cada interpretação. O grau de dificuldade vai oscilar de acordo com o andamento do jogo e será uma prova de fogo para o jovem árbitro. Ser pressionado pela torcida única do Corinthians se o placar estiver desfavorável, será um bom teste.

Analisando seu trabalho vamos saber se a indicação para o sorteio da escala foi por méritos ou apadrinhamento. Quem tem competência precisa de oportunidade e não de favores. Os auxiliares são experientes: Emerson Carvalho (Fifa e Copa do Mundo) e Daniel Marques (experiente e competente). Vinicius Furlan é o quarto árbitro e tem, por obrigação e função, administrar, controlar e punir os mais exaltados e indisciplinados dos dois bancos de suplentes.

Durante a semana, tivemos jogos da Conmebol com arbitragens internacionais e os erros e acertos mostrados não foram diferentes do que nossos árbitros fazem por aqui. No jogo Atlético-MG 3 x Danúbio 2, o argentino Patrício Loustau marcou pênalti inexistente para o time uruguaio. O lance deveria ser punido com tiro livre indireto, o popular dois lances.

No jogo em que o São Paulo foi eliminado pelo argentino Talleres, o árbitro equatoriano Roddy Zambrano acertou na expulsão do são-paulino Everton. Incrível, o time estava precisando vencer e ficou com um jogador a menos em lance perfeitamente evitável. 

Mais Oscar Roberto Godói