PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Vítor Pereira desrespeita o Corinthians e nunca vai treinar o Liverpool

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

23/05/2022 11h03Atualizada em 23/05/2022 15h04

Imaginem o seguinte diálogo em uma festa de aniversário infantil, com presença de toda a família.

- Pai, no meu aniversário eu quero ir para a Disney.

- Ah, eu queria namorar a Anitta e sou casado com a sua mãe.

Desrespeito? Falta de educação, no mínimo. Motivo para acabar a festa.

Foi o que Vítor Pereira fez ao final do Majestoso, basicamente dizendo: "Ah, Róger Guedes quer jogar pelos lados? Eu queria dirigir o Liverpool e estou aqui, trabalhando no Corinthians".

Continuando a comparação: o pai da festinha infantil não tem chance alguma com a Anitta e o Pereira também não tem chance alguma com o Liverpool.

Os treinadores estrangeiros que estão no Brasil são profissionais de segunda linha na Europa. Estão, em geral, fazendo um bom trabalho por aqui, se destacam, mas isso diz mais sobre a má qualidade dos brasileiros do que sobre a excelência dos visitantes.

Vítor Pereira nunca dirigiu um clube tão grande como o Corinthians.

Jorge Jesus nunca dirigiu um clube tão grande como o Flamengo. Paulo Sousa também não.

O Palmeiras é infinitamente maior que o PAOK, de onde veio Abel Ferreira.

Luis Castro precisa agradecer a Textor pela possibilidade de dirigir o Botafogo.

Se saírem daqui, não encontrarão oportunidade em um grande clube das grandes ligas da Europa.

Foi assim com Jorge Jesus, que trocou o Flamengo pelo Benfica e...só.

Ah, Paulo Sousa trocou a selecão da Polônia pelo Flamengo.... Trocou porque o Flamengo é mais.

Quando Vítor Pereira disse que já ganhou muitos clássicos, citou China, Portugal, Grécia e Turquia. Ligas menores, clássicos que podem empolgar um país, mas cuja repercussão não ultrapassa fronteiras.

Com um currículo assim, nunca chegará ao Liverpool. Nunca.

Foi muito infeliz na comparação. Muito.