PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

São Paulo: revezamento termina contra o Ayacucho

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

20/05/2022 17h42Atualizada em 20/05/2022 17h57

Na quarta-feira próxima, dia 24, o São Paulo enfrentará o Deportivo Ayacucho no Morumbi. Jogará com o time reserva. Provavelmente, com o mais reserva de todos, recorrendo a jovens como Caio, Juan, Luizão e, quem sabe, com a estreia do zagueiro Beraldo.

O time já está classificado e o foco será para o próximo jogo, contra o Ceará, sábado, dia 27, no Morumbi.

Depois, acabou o revezamento. Pode até continuar havendo uma troca aqui e outra ali, mas não mais haverá um time para o Brasileiro e outro para as Copas.

Aliás, já foi assim contra o Juventude na segunda partida eliminatória da Copa do Brasil. Na primeira, o São Paulo conseguiu um empate agonico por 2 x 2, depois de estar atrás no placar, por 2 x 0.

O rodízio foi excelente para o São Paulo. Rogério Ceni deu oportunidade a todos os jogadores, descobriu Pablo Maia e conseguiu evitar contusões em excesso, algo comum com Hernán Crespo.

E o time reserva conseguiu a classificação na Sul-americana com uma rodada de antecipação.

Então, por que vai parar?

Porque agora as dificuldades vão aumentar muito. A segunda fase da Sul-americana pode ter times como Ceará (ou Independiente), Racing, Lanús, Santos, Inter, LDU, além dos "rebaixados" da Libertadores, times de camisa, como Boca (ou Deportivo Cali), Nacional (ou Bragantino ou Vélez), Cerro ou Olímpia, Strongest, Dele Valle, Fortaleza....

Serão jogos duros. Um bom sorteio pode ajudar, mas nada certo.

Não há mais espaço para time reserva

O mesmo vale para a Copa do Brasil. Não houve zebras. Dos 16 times, 14 são da Série A e dois da B: Cruzeiro e Bahia, que também são fortes.

Agora, é briga de cachorro grande.

Sem revezamento.