PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Corinthians precisa louvar Fábio Santos e não criar teoria de conspiração

Fábio Santos lamenta pênalti perdido em Deportivo Cali x Corinthians, válido pela Libertadores - DANIEL MUNOZ / AFP
Fábio Santos lamenta pênalti perdido em Deportivo Cali x Corinthians, válido pela Libertadores Imagem: DANIEL MUNOZ / AFP
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

18/05/2022 00h01

O Corinthians trouxe um grande empate da Bombonera e tem tudo para ser campeão do grupo. O Boca precisa ganhar do Deportivo em Cali para não ser "rebaixado" para a Copa Sul-americana.

O interessante é que o Corinthians garantiu o empate em 1 a 1, pela Copa Libertadores, quando ficou com dez jogadores, com a expulsão de Cantillo. Com 11, estava apático e dava toda pinta de levar a virada. Com dez, ficou valente e competitivo e trouxe o ponto.

É preciso ressaltar a grande participação de Fábio Santos no final do jogo. Todo coração, entendeu o jogo que estava sendo jogado. Dividiu todas, ganhou todas. Vibrou e comandou o time. Foi um capitão sem braçadeira. Partida memorável.

O que o Corinthians não precisa fazer é criar uma narrativa de que foi prejudicado. Vamos relembrar.

1) Cássio jogou a bola para fora. Sentia dores na perna.

2) O Boca não utilizou o fair play. Não é obrigado a ser cavalheiro. Cabe ao juiz tomar conta do lance.

3) O juiz se complicou.

4) O Corinthians ficou nervoso em excesso. O lance já estava resolvido e continuou brigando.

5) Cantillo agrediu o jogador do Boca.

6) O juiz o expulsou. Deveria expulsar um do Boca também? Não. Seria compensação.

7) Vitor Pereira foi expulso também. Lugar de treinador não é no meio de treta.

Então, com um a menos, Fábio Santos comandou a resistência. A narrativa correta é louvá-lo, chamá-lo de Obdulio, embora seja um exagero hiperbólico.

Em vez disso, vão ficar dizendo que o time do povo foi roubado pelos malvadões da Conmebol.

Nessa, eu não caio!