PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Flamengo não pode ser o pior do Rio. Injustificável

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

16/05/2022 04h05

Após seis rodadas, a tábua de classificação do Brasileiro mostra algo muito surpreendente para o futebol carioca. Inexplicável.

4° lugar - Botafogo - 11 pontos - três vitórias, dois empates e uma derrota, dez gols a favor e sete contra.

12° lugar - Fluminense - 8 pontos - duas vitórias, dois empates e duas derrotas, seis gols a favor e seis contra.

16° lugar - Flamengo - 6 pontos - uma vitória, três empates e duas derrotas, seis gols a favor e seis contra.

Como explicar, além da frieza dos números? Impossível. O Flamengo tem a maior folha salarial e os melhores jogadores.

E, importante, Paulo Sousa tem o maior tempo de trabalho à frente do clube. Já esteve no Carioca, quando Abel Braga foi campeão pelo Fluminense e Lúcio Flávio, no Botafogo, esquentava lugar para a chegada de Luis Castro.

Luis Castro, aliás, que só assumiu na segunda rodada do Brasileiro. Com problemas de documentação, viu a estreia contra o Corinthians, na cabine.

E Fernando Diniz dirigiu o Fluminense apenas nas duas últimas rodadas: estreou com 1 x 1 contra o Palmeiras em São Paulo e comandou também a vitória por 2 x 0 sobre o Furacão.

Por que os trabalhos de Luis Castro e Diniz, que coneçaram depois de Paulo Sousa já estão dando mais resultado?

As mudanças no Flamengo precisam ser mais profundas? Talvez. Há um grupo de jogadores veteranos acomodados. Há jogadores chegando, como Pablo e Santos, mas no Botafogo é pior e mais grave. O elenco teve muita gente nova na semana da estreia.

O Flamengo precisa buscar as respostas rapidamente. O seu fracasso inicial - o Brasileiro está apenas começando - precisa ser combatido. A diferença para o líder é de sete pontos. Não é pouca coisa, não. Palmeiras e Galo, os outros milionários, estão se arrumando. Corinthians e São Paulo podem surpreender.

E ser o pior do Rio pode ser o menor dos problemas do Flamengo.