PUBLICIDADE
Topo

Menon

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Willian pode renovar com o São Paulo

Willian corre no Centro de Treinamentos do São Paulo - Érico Leonan / saopaulofc.net
Willian corre no Centro de Treinamentos do São Paulo Imagem: Érico Leonan / saopaulofc.net
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

07/12/2021 17h19Atualizada em 07/12/2021 17h57

O diagnóstico de Rogério Ceni - o São Paulo é um time calado e sem atitude - é o mesmo da diretoria, há um ano.

Não se sabe se o remédio proposto pelo clube - um deles - será aceito por Ceni. Nem se sabe se o "doutor" continuará.

Falo de Willian, que chegou no início do ano, vindo do futebol mexicano. O São Paulo viu nele um jogador forte, de personalidade e muito competitivo. E ainda com salário abaixo da média.

Willian não mostrou o que se esperava. Participou de nove jogos, apenas dois como titular. Foi expulso uma vez, sofreu duas lesões no joelho direito - a última em agosto - e tem contrato até o final do ano.

Ele seria renovado automaticamente se cumprisse metas pré determinadas, bem acima de nove jogos.

Mesmo com tudo que o atrapalhou e do pouco futebol que pode mostrar, o São Paulo gostaria de continuar com ele. De uma nova chance.

O jogador também gostaria de ficar. Acredita que tem muito mais a mostrar.

Tudo depende de Ceni.

E, Ceni?

Fica?

Ninguém sabe.

Com ele ou sem ele, o São Paulo buscará contratações pontuais e sem custos. Buscará jogadores jovens e continuará apostando em Cotia.

É a receita possível em tempos de crise.