PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Entrevista desastrosa mostra Ceni perdido e sem foco

Rogério Ceni no duelo entre São Paulo e Flamengo no Morumbi - Guilherme Drovas/AGIF
Rogério Ceni no duelo entre São Paulo e Flamengo no Morumbi Imagem: Guilherme Drovas/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

03/12/2021 15h17Atualizada em 03/12/2021 15h17

No futebol, há verdades que não devem ser expostas. Devem ser enfrentadas no foro apropriado. Caso contrário, podem fazer mal ao grupo e prejudicar metas traçadas.

Vejam o que Rogério Ceni disse na coletiva após os 3 x 0 contra o Grêmio:

"O sistema é importante, claro, mas mais importa do que o sistema é a atitude, personalidade, o poder de reação, então hoje posso garantir que pode ser 352, 442, 451, como quisesse, da maneira que nos comportamos o sistema fica secundário"

Verdade absoluta.

Que carrega um subtexto: "a culpa é dos jogadores, que não têm atitude, personalidade e poder de reação". Ou, mais simples ainda: "a culpa da derrota é desse bando de bananas".

Rogério Ceni foi derrubado do Cruzeiro por uma panelinha. Agora, ele se arrisca a perder o comando do grupo por excesso de franqueza.

O que significa?

Vai fazer um rapa geral para 2022, trazendo jogadores com perfil diferente? Tem dinheiro para tal?

E a explicação para as mudanças táticas, após a vitória por 2 x 0 sobre o Sport? Rogério disse que mudou tudo, inclusive trocando Reinaldo, para que Benítez pudesse jogar.

Besteira.

1) Benitez estava jogando bem sem as mudanças feitas por Rogério. Ao lado de Gabriel Sara, que foi deslocado para a ala.

2) Para que Benítez jogasse bem, Rogério o afastou de seu parceiro. É isso?

3) E qual a necessidade de fazer Benítez jogar? Se Rogério não o escalava é porque não estava convicto da necessidade de colocá-lo em campo. Por que mudou?

4) Rogério sacrificou seus conceitos, mudou o time para analisar se Benítez fica ou sai no final do ano?

5) Rogério quer "salvar" Benítez, como tentou recuperar Pablo e Orejuela?

6) O importante, o fundamental, é fazer o time jogar bem. O São Paulo precisava vencer o Grêmio para ainda sonhar com a Libertadores. Ou, no mínimo, ficar em uma posição melhor, que significasse premiação maior. E ele resolveu mexer em tudo para fazer Benítez jogar, sendo que Benitez estava jogando bem de outro jeito.

Com mudanças constantes, sem foco e colocando jogadores na fogueira, Ceni terá vida curta no São Paulo, o clube que se transformou em moedor de técnicos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL