PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Casares não tem direito de falar em 'reconstrução' do São Paulo

Douglas Schwartzmann, novo secretário-geral do São Paulo - Divulgação/São Paulo
Douglas Schwartzmann, novo secretário-geral do São Paulo Imagem: Divulgação/São Paulo
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

15/11/2021 14h41

O presidente Jair Bolsonaro tem direito em falar, embora eu discorde totalmente, de reconstrução do Brasil. Afinal, ele representa o contrário do PT.

O ex-presidente Lula tem o direito de falar em reconstrução do Brasil. Afinal, suas ideias são totalmente contrárias às de Bolsonaro que, em sua opinião, estão destruindo o Brasil.

Após a vergonhosa derrota por 4 x 0 para o Flamengo, Julio Casares, no Instagram —onde mais?— disse que o trabalho para "a reparação da instituição" continua. Em outras ocasiões, falou em reconstrução. O mesmo termo usado por Carlos Belmonte no Twitter.

Não é um termo que Casares deva usar. É incoerente. Ele foi vice de marketing de Juvenal. Foi apoiador entusiasmado da eleição de Carlos Miguel Aidar contra Kalil Rocha Abdalla. E participou da gestão. Apoiou Leco contra Pimenta.

E, em sua diretoria estava Douglas Schwartzmann, suspeito de participar de supostas tenebrosas transações no tempo de Carlos Miguel. Só deixou a diretoria quando foi indiciado pelo MP.

Como falar em reparação ou reconstrução se Casares participou em menor ou maior grau de todas as gestões anteriores? Se foi apoiador de Juvenal quando ele mudou a duração do mandato de dois para três anos? E se candidatou.

O mesmo que Casares deseja fazer agora ao planejar mudança de estatuto que permitirá a reeleição. E será candidato, alguém dúvida?

É o mesmo modus operandi.

Nada a ver com reconstrução. Ou reparação. São as mesmas pessoas que estão levando o clube ao apequenamento.

O clube já foi rebaixado. Falta o time.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL