PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Ceni acertou tudo e agora tem decisão difícil pela frente

Rogério Ceni acena para a torcida durante a partida entre São Paulo e Corinthians - Marcello Zambrana/AGIF
Rogério Ceni acena para a torcida durante a partida entre São Paulo e Corinthians Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

21/10/2021 16h21

Rogério Ceni dirigiu o São Paulo em dois jogos e conseguiu quatro pontos. Colocou o time novamente no caminho das vitórias — não se sabe até quando — e seu sucesso, sei que ainda é cedo para cravar — tem muito a ver com decisões corretas que tomou até agora.

1) Cotia corre por Benítez - Escalou um meio campo com muita pegada. Liziero está desarmando muito. Igor Gomes e Gabriel Sara fazem ótima recomposição. E Benítez fica livre para armar, apesar de combater também. É um bom plano, mas Benítez precisa mostrar que vale a pena.

2) Orejuela e Reinaldo. O colombiano não fez grandes partidas, mas sua escalação permitiu que Igor Gomes jogasse no meio. Reinaldo foi muito bem, com outra assistência. Não seria errado manter o promissor Wellington, mas Reinaldo correspondeu.

3) Com 1 x 0 na frente, contra o Corinthians, acertou em colocar Gabriel Neves para reforçar o meio. Trocou o 4-1-3-2 por 4-2-2-2.

Agora, Rogério precisa definir quem fica no banco: Arboleda, Miranda ou Leo Pelé. Miranda e Arboleda têm mais nome, mas Leo Pelé tem boa saída pela esquerda.

Enfim, o trabalho tem sido bom e tem mais mérito quando se lembra que Rogério ainda não pode escalar Rigoni, Luan e Igor Vinícius, que eram titulares.

O jogo contra o Bragantino é parada dura. Será mais fácil de ser enfrentado se o time mantiver a postura que mostrou contra o Corinthians.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL