PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Argentina está montando um time forte para a Copa

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

10/10/2021 22h29

A Argentina já havia dado o recado ao vencer a Copa América no Brasil. E, nas Eliminatórias, vem confirmando que pode ser uma forte candidata no ano que vem.

A vitória de 3 x 0 sobre o Uruguai confirmou. O time sofreu no começo, com duas finalizações de Suárez e depois, a partir de uma falha de Muslera, dominou o jogo com facilidade.

Aí está o primeiro ponto. Emiliano Martinez é o melhor goleiro da selecão nos últimos tempos. Melhor que Romero. Uma descoberta de Scaloni, que foi buscá-lo na reserva do Aston Villa.

Além de bom goleiro, é provocador, sempre tentando desestabilizar os rivais. Outro dia, o provocado foi Cristiano Ronaldo. Só.

A zaga tem agora Cristian "Cuti" Romero, do Tottenham. Com 23 anos, é muito seguro. Titular absoluto.

De Paul tem sido o grande jogador do time. Um autêntico todocampista. A partida que fez na final da Copa América foi antológica. E continua jogando muito. Consegue ser protagonista em um time que tem Lionel Messi.

E Messi é o outro ponto a animar os argentinos. Não por ser Messi. Por ser o melhor Messi dos últimos tempos. Falando de seleção, é claro. Parece estar feliz e sem peso nas costas.

Lautaro Martinez é um centroavante de muita qualidade. Presença de área. No momento, o Brasil não tem alguém parecido.

Não é um supertime, claro, mas é um time forte e coeso. Mais forte que a seleção de Sabella, vice campeão em 2014.

Olho nos hermanos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon