PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: São Paulo, três pontos, sufoco, boas novidades e mais longe da lama

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

19/09/2021 18h29Atualizada em 19/09/2021 18h57

O São Paulo precisava vencer.

Era obrigado a vencer.

Venceu. E olha o Z-4 mais longe e o G-8 mais perto, mas ainda longe.

Poderia ter sido menos sofrido. O jogo estava 2 x 0, com 15 minutos do segundo tempo. E levou um gol em cobrança de lateral. Inadmissível.

E o Goianiense foi buscar o empate. O São Paulo sofreu. Crespo colocou Bruno Alves e Calleri. Antes, Gabriel Neves.

As boas novas foram:

Gabriel Neves, com bom passe. Ajudou muito a fazer a bola circular no ataque, impedindo o Goianiense de atacar.

Calleri entrou com boa movimentação. Pouco tempo, nada de excepcional, mas bons momentos.

E outras novidades velhas:

Luan foi muito bem. No início, como terceiro zagueiro/volante. E depois, como volante/volante.

Rigoni fez seu décimo gol em 24 jogos.

Gol de cabeça. Passe perfeito de Nestor.

Luciano fez sei sétimo gol em 26 jogos na temporada. No São Paulo, são 28 gols em 64 jogos. Um gol de "último toque". Na boca do gol.

Passe de Nestor. De letra.

Nestor mais Luciano, mais Rigoni. Um trio que tem boa qualidade. E Calleri está aí.

O São Paulo sem contusões pode ir bem mais longe do pântano.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado no texto, quem fez o gol de cabeça para o São Paulo foi Rigoni, e não o Calleri. O erro foi corrigido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon