PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Neymar perdeu a alegria nas pernas

Neymar em ação durante a partida entre PSG e Club Brugge, pela Liga dos Campeões - BRUNO FAHY / BELGA / AFP
Neymar em ação durante a partida entre PSG e Club Brugge, pela Liga dos Campeões Imagem: BRUNO FAHY / BELGA / AFP
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

15/09/2021 18h29

A estreia do trio Messi, Neymar e Mbappé foi frustrante. O 1 x 1 contra o Brugge foi muito comemorado pela torcida belga. Uma reação lógica quando se olha o poderio econômico do rival. E um pouco exagerada porque também teve chances de vencer. Navas fez grandes defesas.

Para quem esperava magia do trio MNM, decepção. Mbappé foi o melhor, dando o passe para Herrera fazer seu gol. Saiu contundido. A conexão Messi/Neymar não funcionou como nos tempos de Barcelona. Messi, pelo menos se movimentou bastante, da ponta para o meio.

E Neymar? Muito parado na esquerda, muito tenso, dá a impressão nítida que não está feliz. Discutindo muito, irritado.

Se estava na ponta, porque não encarar o marcador, provocar o drible, ir ao fundo? Nada, tentava sempre conexão pelo meio.

Uma comparação pontual, apenas para a rodada de hoje, pois Neymar é muito melhor, mas Vinícius Jr e Antony foram muito mais ousados, mais encaradores nos jogos do Real Madrid e Ajax.

Neymar jogou como um coadjuvante de Messi. E de Mbappé. Pode muito mais. Já mostrou, quando tinha tesão pelo jogo e alegria nas pernas.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado no texto, Messi e Neymar jogaram juntos no Barcelona, e não no Real Madrid. O erro foi corrigido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon