PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Em nome da transparência, São Paulo precisa explicar excesso de contusões

Eder domina a bola diante da marcação de jogador do Racing em jogo do São Paulo pela Libertadores - Marcello Zambrana/AGIF
Eder domina a bola diante da marcação de jogador do Racing em jogo do São Paulo pela Libertadores Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

14/07/2021 11h05Atualizada em 14/07/2021 11h06

Desde a conquista do título paulista, o São Paulo convive com excesso de contusões. Aliás, antes do fim. Daniel Alves e Benítez não participaram da final contra o Palmeiras. O presidente Júlio Casares, que prega a transparência, precisa convocar uma coletiva com médicos, fisiologista e preparadores físicos para explicar.

São doze jogadores diferentes: Daniel Alves, Miranda, Bruno Alves, Leo, Luan, William, Gabriel Sara, Rodrigo Nestor, Benitez, Rigoni, Luciano e Eder. Alguns, mais de uma vez.

Tudo precisa ser bem explicado. É o excesso de jogos no Paulista? Mas Rigoni não estava. E Eder jogou pouco. William também. O certo é que o time fica muito prejudicado.

Eder foi poupado contra o Bahia. Havia feito 13 jogos seguidos, dez como titular. Depois da folga, enfrenta o Racing e sai com menos de 30 minutos. Deveria ter sido poupado antes?

E Miranda? Saiu, recuperou-se rapidamente e...nova lesão. A volta foi precipitada?

Todas as contusões são iguais? Lógico que não. Sara e William não tiveram distensão muscular.

O São Paulo só ganharia com uma coletiva que explicasse caso a caso. E com previsão de volta.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon