PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

São Paulo, com erros do árbitro e de Crespo, quase ganhou. E quase perdeu

Eder comemora gol do São Paulo contra a Chapecoense pelo Brasileiro - Marcello Zambrana/AGIF
Eder comemora gol do São Paulo contra a Chapecoense pelo Brasileiro Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

16/06/2021 21h34Atualizada em 16/06/2021 21h34

Era o jogo ideal para o São Paulo vencer. Crespo sabia disso e ousou, escalando o São Paulo com quatro atacantes. Fez um gol, poderia ter feito outros e, no final, quase perdeu.

O árbitro Dyorgenes Andrade e o próprio Crespo foram importantes para a mudança do rumo do jogo. O árbitro foi muito rigoroso na expulsão de Rodrigo Nestor, que deixou o São Paulo com um jogador a menos o tempo todo e Crespo com algumas substituições estranhas.

Rigoni foi o destaque do primeiro tempo, com passe perfeito para o gol de Eder. Difícil entender porque Reinaldo e não Leo Pelé na zaga.

No segundo tempo, Leo Pelé entrou na zaga e Reinaldo foi para a lateral. Saiu Luciano. Luciano? Difícil entender.

O São Paulo, com dez, continuou a ter o domínio tático do jogo, com Liziero, Sara, Rigoni e Rojas no meio e Eder à frente.

Então, Pablo entrou no lugar de Eder e o time perdeu força ofensiva. Pablo não ganha no alto, não segura a bola, não agride. Se Eder não estava bem fisicamente, deveria ter saído no intervalo. Não o Luciano.

Também não entendi Wellington no lugar de Rojas. Poderia ser Galeano. Ou Bruno Rodrigues, que entrou depois, no lugar de Reinaldo.

Mesmo com um homem a mais, a Chape não dominou o jogo. Mas teve boas chances. Marcou com bola desviada por Liziero. No final, um chute na trave e, em seguida, Wellington salvou debaixo do gol.

O São Paulo também acertou a trave, no primeiro tempo, quando dominava e no segundo, quando a trocação imperava.

Guardiola disse que as oito primeiras rodadas definem quem luta pelo título. E o São Paulo tem apenas dois pontos nas quatro primeiras.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon