PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Sylvinho não está pronto para dirigir o Corinthians na batalha decisiva

Sylvinho durante partida do Corinthians contra o Atlético-GO que marcou a eliminação do Alvinegro da Copa do Brasil  - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Sylvinho durante partida do Corinthians contra o Atlético-GO que marcou a eliminação do Alvinegro da Copa do Brasil Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

10/06/2021 12h49

O Corinthians foi eliminado no Paulistão pelo Palmeiras.

O Corinthians foi eliminado na Sul-americana, pelo Peñarol.

O Corinthians foi eliminado na Copa do Brasil, pelo Atlético-GO.

O que resta para 2021 é o Brasileiro. Um campeonato espetacular, um dos melhores do Planeta Terra, ouso dizer do Sistema Solar. E como vai o Corinthians para a última batalha da temporada?

Vai lutar para não cair.

Com um elenco fraco.

Sem dinheiro para contratar.

E com um treinador que tem mais derrotas e empates do que vitórias.

Silvinho, em 15 jogos dirigindo Lyon e Corinthians, conseguiu apenas quatro vitórias. Empatou cinco e perdeu seis.

Significa que não pode fazer um bom trabalho? Não. Crespo, apesar do título com o Defensa y Justicia, também tinha mais derrotas que vitórias ao assumir o São Paulo e ser campeão paulista.

Silvinho pode dar certo. Pode dar errado. É uma aposta. Mas, se você está devendo muito, não deve apostar.

Silvinho, mesmo porque não tem carreira longa, não é do tipo que mereça defensores exacerbados e nem críticos exaltados.

Os que o defendem por ter vários cursos de treinador devem estar assustados com o primarismo daquele pequeno exemplo de palestra no vestiário, histriônico até a medula e um discurso de coach barato.

Os que o atacam deveriam esperar um pouco mais. Ele pode crescer, melhorar.

Certeza, só uma.

Ele não está pronto.

E não estará mesmo que vença o Palmeiras no Derby.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon