PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Estrela Negra é a maior homenagem possível ao Rei Pelé

Projeto Estrela Negra - Santos - Reprodução
Projeto Estrela Negra - Santos Imagem: Reprodução
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

10/06/2021 17h39Atualizada em 10/06/2021 17h57

Quando viu, em 2016, Pelé carregando a tocha olímpica nas ruas do Rio, extremamente feliz com as manifestações de carinho da população, Rodrigo Cafundó, vocalista da banda Angels Holocaust teve a ideia que faltava para a sua tese de pós graduação em Administração e Marketing.

A Estrela Negra.

Entre as duas douradas - títulos mundiais - representando o maior jogador de todos os tempos. Aquele que Cafundó tem tatuado na pele, seu grande ídolo.

"Seria um resgate histórico, uma grande homenagem em vida. A nova camisa estrearia em um jogo contra o Cosmos".

Cafundó tentou mostrar sua ideia para os ex-presidente Modesto Roma e José Carlos Peres, mas não foi recebido.

"Uma pena. Sinto que Pelé adoraria essa homenagem. Seria importante para o Santos, para o futebol brasileiro e uma forma de homenagear o orgulho negro".

A definição de Cafundó: "Seria a materialização da simbiose perfeita: o Santos de Pelé".

Ou o Pelé do Santos.

Menon