PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Crias da Academia já valem 100 milhões de euros: "Mas o lucro vai além"

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

18/05/2021 04h00

Gabriel Menino, Patrick de Paula, Danilo, Wesley, Verón, Renan...Garotos que estão sendo preponderantes nas conquistas do Palmeiras também renderão muito dinheiro ao clube, segundo João Paulo Sampaio, gestor da base. "Já recebemos várias ofertas e recusamos. Eles valem mais de 100 milhões de euros".

João Paulo cita os números. "O Verón teve oferta de 20 milhões, mas nós pedimos 25. O Renan teve oferta de 10 milhões. Nem conversamos. Ofereceram 12 milhões pelo Danilo, mas pedimos 15. O Gabriel Menino é da seleção principal, não sai por menos de 20 milhões. O Patrick de Paula fica entre 15 e 20, o Wesley pelo menos 10 milhões, e já recebemos oferta de 10 milhões pelo Giovani. Mas o lucro dos garotos não é apenas isso".

O lucro, segundo João Paulo, vem da utilização maciça dos jogadores da base. " Hoje, 40% dos jogadores do elenco vêm da base. E nenhum deles ganha R$ 100 mil. O Renan, aliás ganha R$ 10 mil. Um jogador médio ganha bem mais. A folha salarial diminuiu em R$ 5 milhões por mês. Com isso, é possível trazer o Dudu de volta. Ou algum outro bom jogador para o elenco."

A chegada dos garotos ao time titular foi precedida de muitas vendas. O goleiro Daniel Fuzaro está na Roma. Luan Cândido e Vitinho estão no Bragantino. O Arthur também. Fernando e Vitinho estão no Shakhtar Donetsk. Entre 2015 e 2019, o clube gastou RS 90 milhões na base e arrecadou R$ 238 milhões".

João Paulo tem 44 anos e chegou ao Palmeiras em 2015, vindo do Vitória, para profissionalizar a base. "É um caminho sem volta. O Palmeiras não fazia parte nem dos 15 melhores do Brasil e hoje está no mesmo nível de outros".

A estrutura da base é formada por seis observadores técnicos, parceria com clubes formadores e uma política agressiva de captação, termo usado por João Paulo. "A gente viaja muito, sempre vai ver jogos de outros estados. Temos parceria com o Deportivo Brasil e o PSTC, além de outros. Tem muita gente boa chegando. O Giovani é o próximo craque".

A estrutura física também vai melhorar. Hoje, os garotos moram em hotel (sub-20) hostel (sub-17 para baixo), almoçam perto do Allianz e treinam em Guarulhos. "Vamos unificar tudo, como fazem São Paulo, Atlético-MG, Vitória e outros. Em pouco tempo, a parte de hotelaria própria vai estar pronta".

A ideia é que resultados como os de 2019 sejam corriqueiros. O Brasil foi campeão sul-americano sub-20, com seis do Palmeiras e campeão sul-americano sub-17, com sete do Palmeiras. Tudo com orçamento anual de R$ 20 milhões.

Algo mais, João Paulo?

"A imagem. Quando alguém vê Gabriel Jesus jogar, lembra do Palmeiras. Isso vale muito, muito".

gestor - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
João Paulo Sampaio, gestor da base do Palmeiras
Imagem: Arquivo pessoal

Menon