PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

Dia D para Diniz

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

23/01/2021 04h00

Fernando Diniz, o ídolo dos que consideram resultado uma bobagem qualquer, vive o melhor momento de sua carreira, quando o assunto é resultado, o que realmente importa.

Até 15 dias atrás, ele estava perto de colocar um título importante em seu currículo e dar um argumento sólido aos que o consideram dono de ideias revolucionárias.

Então, veio o tornado. Quatro jogos, três derrotas e um mísero empate. Onze gols sofridos e quatro anotados. A maior derrota no Morumbi. Um vexame e a perda da liderança.

É possível dar um cavalo de pau em tudo isso e continuar lutando pelo título?

Sim.

Basta fazer algo que já se repetiu por 17 vezes em 31 rodadas. Derrotar o Coritiba.

O fato corriqueiro afastaria (ou diminuiria) muitos problemas do time. Daria ânimo para consolidar esse reinício contra o Atlético-GO na próxima rodada, fora de casa.

Basta vencer o Coritiba.

Nem é necessário o Inter sofrer no Grenal, o Flamengo fracassar no Paraná contra o Furacão ou o Vasco, em casa, brecar o Galo.

Nada disso. Basta uma vitória para chegar aí fundo do poço e voltar a escalá-lo novamente.

Jogos assim, é necessário vencer. Não interessa a forma (desde que lícita). Pode ser jogando mal. Ou bem. Pode ser com bola alta, bola baixa, com uma linda construção de 17 passes - de Volpi a Brenner - ou com uma bola bandida que desviou no joanete do zagueiro.

De uma forma ou de outra, a vitória só vira se os jogadores entrarem em campo para competir. Desarmar. Interceptar. Precisam saber que é vencer ou vencer.

É um momento crucial para Diniz. Precisa mostrar que pode dar a volta por cima e ter um final digno. Nem precisa de título. Caso contrário, pode ser demitido ainda hoje.

Menon