PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

Jair Ventura quer vencer o Corinthians, mas rejeita a Lei do Ex

                                 Jair Ventura reúne seis partidas com o Sport na Serie A                              -                                 ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Jair Ventura reúne seis partidas com o Sport na Serie A Imagem: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

23/09/2020 11h13

Jair Ventura dirige o Sport, hoje, em Recife, contra o Corinthians, se ex-clube. Vai terei do ex? "Ah, eu não jogo", responde, com uma boa risada.

Uma vitória seria a terceira em casa em três jogos. Goiás e Fluminense foram derrotados. "Nossa sequência inicial era difícil, com quatro jogos fora e dois em casa. Era difícil, mas conseguimos 53% de aproveitamento. Não faço cálculos e nem projeções. Pensamos jogo a jogo e vamos tentar vencer o Corinthians."

Jair chegou ao Sport na sexta rodada. O time tinha quatro pontos. Estreou contra o Coritiba e perdeu com um pênalti nós acréscimos. Em seguida, surpresa, derrotou o Grêmio fora de casa. Com um novo goleiro, Luan Polli em campo. "Foi uma decisão técnica, tomada juntamente com o Jorcy, o preparador de goleiros. O treinador tem que optar a partir do que vê nos treinos".

Contra o Goiás, 2 x 1 na melhor atuação do time. "Funcionamos bem na defesa e na frente". Derrota para o Fortaleza e surpreendente empate contra o Palmeiras que tinha um jogador a mais durante um bom tempo. "Fizemos duas linhas defensivas e empatamos com um gol bem bonito, com trabalho apoiado"

Contra o Corinthians, Jair lamenta a ausência da torcida. "Ainda é cedo para ter público nós estádios, cada estado tem um estágio no combate à pandemia, mas seria ótimo ter nossa torcida apoiando. Já sofri muito contra eles, agora seria bom ter esse apoio".

Jair e Coelho. Dois treinadores negros em campo. Uma raridade. "No mundo todo. Na última Copa, havia apenas um. Eu me sinto representante da raça e dos treinadores jovens. Só dirigi time grande e em três anos estive em duas Libertadores".

Hoje é dia.

Jair contra Corinthians.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon