PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

O dinizismo chegou ao estágio final de implantação. Uma ofensa ao clube

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

22/09/2020 23h10

Está provado. Fernando Diniz precisava de tempo para que seu trabalho chegasse ao auge. O dia chegou. Enfim. O gol que ele estava tentando fazer há muito tempo, chegou. Troca de passes dentro da área. Gol do rival.

É o ápice de um estilo de jogo. O São Paulo não ganhava do Furacão há anos. Então, o goleiro Santos foi sair jogando. Confusão. Pênalti. Gol de Nenê. O treinador do Furacão era Diniz.

Era o que faltava. Já havia eliminação contra o Mirassol. No Fluminense, foi derrota contra o CSA em casa.

Todo o arsenal do Dinizismo já estava implantado. O time sofrer gol com linha de passe dentro da área. O primeiro gol da LDU foi apenas mais um. Houve vários.

E a falta de competitividade no meio? Ele trocou a zaga e ela continua desprotegida. E Tchê Tchê vai continuar jogando sempre. Ele é um volante construtor. Diniz, o time precisa urgentemente de um volante destruidor.

Foi assim o quarto gol

Diniz só não pode ser culpado por falsidade ideológica. Ele é isso aí há muito tempo. Adorado por quem considera desempenho melhor que resultado.

E eu pergunto: que maldito desempenho é esse? O que significa Vitor Bueno? A ousadia de trocar Igor Vinícius por Paulinho Boia é falsa. Deu o passe para o gol de Brenner, mas ficou na defesa a maior parte do tempo.

O São Paulo está sendo destruído há muito tempo. O dinizismo é mais um vírus maligno. O mais letal porque é bonitinho e engana os que consideram troca de passes um achado.

Fernando Diniz é um encantador de serpentes.

Péssimo.

A serpente vence sempre.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon