PUBLICIDADE
Topo

São Paulo precisa fazer uma auditoria da dívida já. Ou pode "cruzeirar"

Leco - ArteUOL
Leco Imagem: ArteUOL
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

29/06/2020 17h46

O candidato Júlio Casares e o pré-candidato Marco Aurélio Cunha têm posições semelhantes quando o assunto é a dívida do clube: assumir, fazer um estudo rigoroso e tomar atitudes, entre elas o alongamento dos prazos de pagamento.

Tudo o que cada um de nós diria ao nosso gerente bancário, com cara triste.

É muito pouco. A dívida aumenta a cada dia. Tem acordo até com Fredson, quem lembra dele. São casos perdidos referentes a direitos de imagem. O São Paulo deveria repassar 20% e só pagou 5%.

E, se a situação já era ruim, piorou com a pandemia. Não entra dinheiro e o clube não está pagando nem o que foi combinado com os jogadores. Dívidas e mais dívidas.

Os candidatos deveriam se reunir com Leco e fazer agora uma auditoria da dívida. Quem assumisse, já teria um diagnóstico para enfrentar o dragão. E teria apoio político dos rivais para afastar o clube do abismo.

O primeiro passo de seriedade foi feito. O clube não contratou ninguém em 2020. O segundo é gastar todo o dinheiro de Antony e de outras possíveis vendas para pagar dívida. Nada de destinar, como hoje, 50% para reposição.

Pagar a dívida deve ser uma obsessão. Pelo menos até que seja totalmente controlada.

Contratações, só do tipo Igor Vinícius e Bruno Alves. Baratos e eficientes.

É isso ou a catástrofe

Menon