PUBLICIDADE
Topo

Arthur tem na Juve chance de vencer encruzilhada contra a noite por virada

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

24/06/2020 12h00

A melancólica substituição de Arthur por Riqui Puig, aos dez minutos do segundo tempo, contra o Athetic de Bilbao, pode marcar a despedida do brasileiro do Barcelona.

Aos 23 anos está perto de ser trocado por Pjanic, veterano de 30 anos, da Juventus. O Barça se livra de um problema e ainda ganha 10 milhões de euros.

Não era para ser assim. Arthur chegou em 2018 ao Barcelona, que fez de tudo para que sua apresentação fosse antecipada. Pagou 31 milhões de euros pelo jogador que estreou em 28 de julho, fazendo um gol contra o Tottenham.

Foi comparado com Iniesta. Mais do que comparado, foi saudado como o novo Iniesta. E nunca foi constante.

Na última temporada, participou de 41 jogos, entre a Liga dos Campeões, o campeonato espanhol e a Copa do Rey. Em apenas quatro deles, completou 90 minutos. Nenhum deles pela Liga dos Campeões, o mais importante.

Em agosto do ano passado, ao se reapresentar, disse que, na temporada anterior havia se "equivocado" na parte física. Não foi o primeiro pedido de perdão. Antes, havia prometido ser mais caseiro, ao ser repreendido por deixar Barcelona para participar da festa de aniversário de Neymar, em fevereiro.

O Barça também não gostou de um certo deslumbramento de Arthur, que gastou muito dinheiro na compra de uma Ferrari.

Segundo a imprensa espanhola, incomodou muito também sua presença constante em festas, e isso virou uma lenda por lá. Há relatos sob pedidos de sigilo de que um paparazzo ganhou muito dinheiro vendendo ao Barcelona fotos de um Arthur em condições não coerentes a de um profissional. Fato foi uma ida a uma festa de Neymar, em Paris, que o desgastou com o clube catalão.

A carreira de Arthur, aos 23 anos, está em um impasse. Extremamente técnico, perdeu espaço para Arturo Vidal, o chileno, muito mais participativo. Se não for bem na Juve, dificilmente terá chances em um grande clube novamente.

E na seleção, terá a concorrência de Bruno Guimarães, do Lyon, por quem Tite está muito impressionado.

Arthur e sua Ferrari estão em uma encruzilhada.

Menon