PUBLICIDADE
Topo

Basquete agita eleição do São Paulo

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

18/06/2020 14h35

Roberto Natel, pré candidato a presidente do São Paulo tem dito reiteradas vezes nas reuniões do Conselho de Administração que é contra a continuidade do basquete no clube.

Eu considero um absurdo. O basquete do São Paulo é um sucesso. Em seu primeiro ano, o time firmou-se como um dos quatro mais fortes do Brasil, com Flamengo, Minas e Franca e classificou-se para competições internacionais.

Outros dois pré candidatos discordam de Natel.

MARCO AURÉLIO CUNHA:

"O SP é um clube de futebol, mas não deve ficar em monocultura esportiva
Há espaço para outras modalidades profissionais ou amadoras . O Basquete foi bem avaliado, tem torcedores , preenche e movimenta o Clube
Deve ter patrocinadores próprios e não retirados do futebol onde se simula ser patrocinado.
Temos uma crise financeira brutal e o caminho de ela continuar é não fazer as contas
Se houver possibilidade econômica devemos prosseguir."

JÚLIO CASARES

"Sem dúvidas, o basquete será mantido e não mediremos esforços para que seja melhorado dentro das possibilidades. A modalidade caiu nas graças dos sócios e torcedores e trouxe visibilidade ao clube. Com os patrocínios conquistados, montou-se uma equipe muito competitiva que estava muito bem na NBB antes da parada necessária pela pandemia. Os nossos apoiadores da área social sabem desse nosso apoio. O Ginásio foi reformado e está lindo, tendo em média, 1,7 mil sócios em cada jogo."

Menon