PUBLICIDADE
Topo

Cotia é a salvação do São Paulo

Igor Gomes comemora gol marcado pelo São Paulo sobre a LDU na Libertadores - Bruno Ulivieri/AGIF
Igor Gomes comemora gol marcado pelo São Paulo sobre a LDU na Libertadores Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

06/06/2020 04h05

A base do São Paulo revelou um maior jogador do mundo, um tricampeão da Champions, um jogador mais caro a ir para o Exterior e o maior ídolo da história do clube.

Kaká, Casemiro, Denilson e Rogério Ceni são alguns exemplos de sucesso. Mas não é só com grandes nomes que Cotia ajuda o São Paulo.

É com muito dinheiro. Vindo de jogadores de sucesso, como Neres, Lucas Moura e até de gente que não se firmou, como Lucas Fernandes, Auro e até de quem não estreou, como Tuta, Morato, Artur e outros.

O dinheiro é fundamental para um clube mal dirigido, que deve muito. Vende o futuro para pagar o passado.

E, por ser uma tábua de salvação técnica - Igor Gomes - e financeira - Antony - a transação Cotia-Barra Funda precisa ser mais bem tratada.

É preciso dar mais chances aos garotos. Precisa colocar em campo. Eu gosto muito de Anderson Martins, Bruno Alves e Arboleda, mas um dos três precisa sair. Walce, Fasson e Diego precisam jogar. Morato precisava ter jogado. Jean atrasou a vida de Lucas Perri. Para o lugar de Antony, Galeano ou Maia precisam ser testados.

É preciso acelerar. Por títulos. E por dinheiro.

Menon