PUBLICIDADE
Topo

Não é fácil ser Neymar

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

05/06/2020 11h37

O título do post traz imediatamente uma reação irônica: "fácil é a vida do Tuniquinho, que acordava às cinco da manhã, pegava dois ônibus pra trabalhar, comia marmita fria e agora foi demitido sem direito a nada".

Perfeito, a vida de Neymar é glamourosa. Vida de milionário, com cartões, barcos, helicópteros e mais zeros na conta bancária do que a população mundial, ou perto disso.

A exposição traz dinheiro. São 139 milhões de seguidores no Instagram, são muitas oportunidades de negócio...

E a parte ruim?

Não poder jogar videogame com amigos. Foi o que ocorreu agora. Ele fala sobre o namoro da mãe com o garoto de sua idade, comenta sobre a ida do rapaz a um hospital depois de uma suposta briga e outras pessoas sugerem violência homofóbica.

Não é uma conversa edificante. Mas é privada, ele lá não sei com quem.

E alguém vazou o áudio para um fofoqueiro.

Que amigo é esse?

Vazou por quê?

Vazou por quanto?

E o fofoqueiro, ganhou quanto em colocar no ar um lamento, uma angústia de alguém preocupado com a mãe?

Neymar tem atitudes que causam raiva.

Neymar tem dinheiro que causa inveja.

Neymar tem a solidão das celebridades. Merece solidariedade.

Menon