PUBLICIDADE
Topo

Fred voltou ao Flu. Qual Fred, mesmo?

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

01/06/2020 12h24

Triste retrato do futebol brasileiro:

1) Pedro tem um futuro brilhante. O Fluminense precisou vender para a Europa. Tem 21 anos.

2) Fred tem passado brilhante. Está de volta ao Fluminense, onde marcou 172 gols. Tem 36 anos.

Não é apenas o Fluminense. Todo clube brasileiro precisa vender suas revelações para sanar déficit financeiro. Autofagia. O Flamengo é exceção. Mas, veja bem, com todo o poder econômico que construiu, não conseguiu segurar Pablo Mari. Preferiu a Europa, talvez para ganhar o mesmo.

Então, vivemos do passado.

Trazemos de volta velhos ídolos. Pode dar certo. Pode não dar. Nada é certeza.

É o caso de Fred. Qual Fred está voltando? O comandante do "time de guerreiros"? O artilheiro do título de 2010? Ou o Fred que pouco fez nas duas últimas passagens, por Cruzeiro e Galo?

A torcida do Fluminense está feliz. Com toda a razão. Tem de volta um ídolo. Um matador. Mas é preciso ter um pé atrás. Ninguém sabe o que virá.

Bom mesmo era ter o Pedro.

Menon