PUBLICIDADE
Topo

Os cinco maiores goleiros. Ou seis. Ou onze

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

16/05/2020 04h00

Respondi ao Sincerão do UOL ( https://youtu.be/_ujwbL7WA3w ) e apontei os cinco maiores goleiros que vi jogar. Apenas por uma questão de critério, me ative ao período pós anos 90. E ao Brasil.

Ficou assim, em ordem aleatória:

Taffarel - Goleiro de três copas, campeão do mundo e um dos primeiros a jogar na Europa.

Dida - Um iceberg negro. Envergadura enorme, titular do Milan e da Copa 2006.

Marcos - O melhor goleiro da Copa/2002 e capaz de trocar a Europa pela Série B, pelo amor ao Palmeiras

RogérioCeni - mais de mil jogos e mais de cem gols marcados pelo São Paulo. E também muito bom defendendo.

Rodolfo Rodriguez - A série de cinco defesas seguidas no mesmo lance fala por ele.

Meus critérios deixaram Leão de fora. Muita personalidade e autor de uma defesa espetacular na Copa de 74, em chute de Cruyff.

Também não citei Alisson, muito bom, mas ainda em atividade. E por muito tempo.

Há os estrangeiros também. Mazurkiewics, Gordon Banks, Preudhome, Pfaff, Schumacher...

O meu livro "Os 11 maiores goleiros", foquei de 1950 a 2010.

A lista tinha:

Barbosa, Castilho, Gylmar, Leão, Raul, Taffarel, Dida, Marcos, Rogério Ceni, Zetti e Júlio César.

Faltou Manga, o Manguita Fenômeno, mas o editor não o aceitou. Preferiu Raul.

Qual a lista de vocês?

Menon