PUBLICIDADE
Topo

MAC se coloca como alternativa para descontentes e Oposição

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

15/05/2020 04h05

Marco Aurélio Cunha busca viabilizar sua candidatura à presidência do São Paulo em um tripé: conselheiros que apoiaram Leco e estão descontentes com a direção do clube, conselheiros que o apoiam sempre e também quem é francamente oposição.

Uma estratégia que passaria por ser candidatura única de oposição, a partir de uma composição com Roberto Natel. O folclórico Newton do Chapéu não é considerado sério por ninguém no São Paulo.

A eleição, como tem sido de praxe, servirá para desmistificar a ideia que o São Paulo criou para si mesmo: de ser um clube diferenciado, com conselheiros cultos e seus punhos de renda.

Um grupo dirá que Júlio Casares também é responsável pelo mau momento esportivo do clube. Outro, que Março Aurélio já trabalhou no Santos, como foi dito na última eleição.

E haverá muitas acusações de favorecimento, de troca de favores e de corrupção.

O de sempre, que não tem levado o São Paulo a lugar nenhum. A não ser o fundo do poço, com Carlos Miguel Aidar.

Menon