PUBLICIDADE
Topo

Menon

São Paulo faz sua melhor partida. Três a zero foi pouco

Daniel Alves comemora gol marcado pelo São Paulo sobre a LDU, na Copa Libertadores - Alexandre Schneider/Getty Images
Daniel Alves comemora gol marcado pelo São Paulo sobre a LDU, na Copa Libertadores Imagem: Alexandre Schneider/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

11/03/2020 23h53

Foi a noite em que parte das intenções de gol virou alegria, confiança...e gols. Três anotações em 14 tentativas. Mais que os 20% de aproveitamento com que Diniz sonhava.

Podia ser mais. Deveria ser mais, principalmente pela pornográfica vitória de 8 x 0 do River sobre o Binacional, vencedor do São Paulo na primeira rodada.

Se a vitória veio absolutamente sob o estilo de Fernando Diniz, com muitos passes e triangulações, ela teve também o selo de Daniel Alves, o dono do jogo. O patrão.

Ele manda e comanda. Joga de área a área, com desarmes e construção. Passes, gritos e gol. Ele é quem pode levar o São Paulo à classificação, ainda difícil de ser conseguida.

Depois de 2 x 0, a LDU reagiu e empurrou o São Paulo para a defesa. Foram momentos preocupantes, que a dupla de zaga afastou.

Foi um grande passo do São Paulo. Precisa ser confirmado diante do River. Faltam oito pontos.