PUBLICIDADE
Topo

Diniz precisa mudar o time

Jogadores do São Paulo comemoram gol de Toró contra o CSA - THALITA CHARGEL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Jogadores do São Paulo comemoram gol de Toró contra o CSA Imagem: THALITA CHARGEL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

27/01/2020 17h41

Fernando Diniz fez muito bem ao escalar o time que considera titular nos dois primeiros jogos do São Paulo no Paulista.

Chamou a atenção o fato de ele apostar mais na recuperação de Helinho e Hernanes do que em Pato.

Há uma explicação. Ele acha que Pato deve jogar no centro do ataque, perto do gol. Como Helinho está fora do próximo jogo, o correto é deslocar Pablo e colocar Pato na área.

Na verdade, o dilema Pablo ou Pato tem se mostrado muito menos prazeroso do que se poderia imaginar.

Há um problema urgente a ser resolvido. O São Paulo precisa de um ponta. Um cara rápido, que vá até o fundo e cruze. Não alguém que carregue a bola, entre pelo meio e tente, com chute de pé esquerdo, acertar o ângulo direito do goleiro.

Há algumas possibilidades. Igor Vinícius na segunda linha. Ou na primeira, aproveitando o corredor. Éverton, que jogou muito bem com Aguirre, puxando contra-ataque.

Ou Toró, que é rápido e bom definidor.

É preciso experimentar. É preciso ousar.

Menon